Home
  By Author [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Title [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Language
all Classics books content using ISYS

Download this book: [ ASCII | HTML | PDF ]

Look for this book on Amazon


We have new books nearly every day.
If you would like a news letter once a week or once a month
fill out this form and we will give you a summary of the books for that week or month by email.

Title: O Oraculo do Passado, do presente e do Futuro (1/7) - Parte Primeira: O oraculo da Noite
Author: Serrano, Bento
Language: Portuguese
As this book started as an ASCII text book there are no pictures available.
Copyright Status: Not copyrighted in the United States. If you live elsewhere check the laws of your country before downloading this ebook. See comments about copyright issues at end of book.

*** Start of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "O Oraculo do Passado, do presente e do Futuro (1/7) - Parte Primeira: O oraculo da Noite" ***

This book is indexed by ISYS Web Indexing system to allow the reader find any word or number within the document.



public domain material from Google Book Search)



O ORACULO

DO

PASSADO, DO PRESENTE E DO FUTURO

OU O

Verdadeiro modo de aprender no passado
a prevenir o presente, e a adivinhar o futuro

POR

BENTO SERRANO

ASTROLOGO DA SERRA DA ESTRELLA,

_Onde reside ha perto de trinta annos, sendo a sua habitação uma estreita
gruta que lhe serve de gabinete dos seus assiduos estudos astronomicos_


OBRA DIVIDIDA EM SETE PARTES, CONTENDO CADA UMA O SEGUINTE:

    Parte primeira--O ORACULO DA NOITE
    Parte Segunda--O ORACULO DAS SALAS
    Parte Terceira--O ORACULO DOS SEGREDOS
    Parte Quarta--O ORACULO DAS FLORES
    Parte Quinta--O ORACULO DAS SINAS
    Parte Sexta--O ORACULO DA MAGICA
    Parte Setima--O ORACULO DOS ASTROS


PORTO
LIVRARIA PORTUGUEZA--EDITORA
55, Largo dos Loyos, 56
1883



PARTE PRIMEIRA

O ORACULO DA NOITE

OU

O modo seguro de adivinhar o futuro pela verdadeira interpretação dos
sonhos, ao alcance de qualquer pessoa


PORTO
LIVRARIA PORTUGUEZA--EDITORA
55, Largo dos Loyos, 56
1883



Porto: 1883--Imprensa Commercial--Lavadouros, 16.



EXPLICAÇÃO


Para mais facilmente se comprehender a definição dos sonhos

A explicação dos sonhos existe desde a mais remota antiguidade, existirá
mais ou menos desvairada emquanto o genero humano não desapparecer da
face da terra, ou não for reduzido á condição dos animaes irracionaes.

É certo, porém, que o valor da significação dos sonhos vae
desappareçendo á medida que a illustração esclarece o espirito dos povos
e lhes mostra claramente que as excitações nervosas, que todos
soffremos, mais ou menos, são a causa do cerebro produzir sonhos alegres
ou tristes, segundo as disposições physicas ou moraes da pessoa que
sonha.

Sonhos, sempre os houve e ha de haver; notando-se, porém, que só os
povos rudes ou os ignorantes é que fazem caso da significação que os
antigos lhes attribuiram. As pessoas instruidas e de juizo sabem
perfeitamente que as venturas ou desgraças, que succedem ao genero
humano, são predicados inherentes á sua condição, não influindo nada
para isso os sonhos ou phantasias de ninguem.

O nosso intuito, publicando este _Livro dos Sonhos_, é unicamente
mostrar ao leitor o desvario da razão humana, e o que elle produz para
induzir em erro as pessoas nimiamente crédulas.

É possivel que haja quem não pense como nós a respeito da significação
dos sonhos; para esses, que não pensam como nós, vamos aqui transcrever
o que outros teem dito acerca da classificação dos sonhos e seu valor;
eis o que elles dizem:

«Ha quatro especies de sonhos, e, segundo a qualidade de cada um, se
denominam de diverso modo:--a primeira é o _Sonho propriamente dito_; a
segunda, a _Visão_; a terceira, o _Pesadelo_; a quarta, a _Apparição_.

«O _Sonho_ é aquelle que, debaixo de certas figuras, nos apresenta a
verdade--como quando José interpretou a Pharaó o sonho, que este tivera,
com sete vaccas gordas e outras sete magras.

«A _Visão_ é uma especie de revelação, que, durante o somno, nos é feita
por algum espirito divino--como aconteceu a José, esposo da Virgem, e
aos Magos, quando escaparam á perseguição de Herodes.

«O _Pesadelo_: é causado por affecções vehementes, que atacam o cerebro,
quando dormimos, e encontram o espirito vigilante. Então o que nos
aconteceu durante o dia occupa-nos igualmente de noite: quem se arreceia
de algum mau encontro, sonha que elle se verifica; o que teve alguma
questão acalorada, questiona ainda, dormindo; o avarento sonha com o seu
thesouro; e o que ceiou regaladamente, sonha com os prazeres da mesa.

«A _Apparição_ não é mais do que um phantasma, creado pela imaginação
dos velhos e das creanças, que se afigura aos espiritos fracos.

«Já se vê, pois, que d'estas quatro especies de sonhos, só as duas
primeiras _é que teem apparencias de verdade_; as outras duas são
inteiramente falsas.

«Cumpre advertir que os sonhos, de que não conservamos lembrança alguma,
nenhum valor teem; e quanto áquelles de que nos recordamos, para se
tomarem em consideração, devem ter logar proximo ao dia, ou, ao menos,
depois da meia noite--porque, até essa hora, todos os sentidos e
virtudes corporaes estão occupados com a digestão.

A proposito dos sonhos e dos pesadelos eis o que se lê no _Diccionario
de Medicina Popular_ de Chernoviz:

«_Sonho._--O cerebro nem sempre está em repouso completo durante o
somno. Muitas vezes, emquanto se dorme, produzem-se certos actos
intellectuaes que se chamam sonhos. Estes sonhos, por muito tempo
considerados como actos sobrenaturaes, avisos celestes ou annuncios do
futuro, são o producto do trabalho irregular do cerebro; e se as mais
das vezes são estranhos, é porque, tendo o somno feito cessar toda a
vontade, as diversas ideias que se formam são associadas como por acaso
e com extraordinarias incoherencias. Ordinariamente os sonhos são
relativos aos trabalhos, ás paixões que occupam o individuo durante as
vigilias, e que deixaram uma impressão no cerebro; o sabio sonha com os
seus estudos, o amante com o objecto da sua inclinação. Mas pódem tambem
ser o resultado da imaginação ou da memoria; uma impressão apenas
percebida póde occasional-os. Algumas vezes os sonhos limitam-se á
producção de ideias; mas outras vezes tambem são acompanhados da acção
que teria seguido naturalmente estas ideias; um move-se, falla; outro
queixa-se; outro canta;...... Não é facil impedir os sonhos.

«_O Pesadelo_ não comprehende os sonhos penosos de toda a especie;
designa-se mais particularmente por esta palavra um estado em que a
pessoa adormecida, julgando-se na imminencia de um perigo, sente-se
privada do uso do movimento e da voz, quer para fugir ou repellir o
ataque, quer para chamar soccorro. Estas sensações illusorias são mui
variadas: taes são uma queda n'um abysmo, a vizinhança de um incendio, o
ameaço de um assassinio, etc. Ás vezes o homem julga ver no seu sonho um
monstro, um peso que lhe opprime o peito e lhe tolhe a respiração. Logo
que se póde fazer algum movimento, o sonho desapparece, e ás vezes, ao
despertar-se, existem palpitações e uma fadiga geral.

«As creanças, as mulheres e as pessoas idosas são mais sujeitas ao
pesadelo do que os adultos e os homens. Uma grande sensibilidade
predispõe para este incommodo. As historias com que se amedrontam as
creanças, os terrores religiosos, pezares profundos e os excessos na
comida, são causas frequentes do pesadelo. Muitas vezes é elle produzido
pela plenitude do estomago.

«Os meios para fazer cessar esta affecção dimanam naturalmente do
conhecimento das causas. Banir o mêdo, dissipar os terrores, procurar
distrahir-se, usar de banhos, passeios, observar sobriedade, diminuir ou
supprimir totalmente a comida da noite, deitar-se do lado direito e com
a cabeça elevada, manter a liberdade de ventre: taes são os meios mais
convenientes. Todas as vezes que se podér, convem despertar a pessoa
quando a perturbação da respiração, a anxiedade do rosto, o suor do
corpo, annunciarem que o pesadelo se declara.»

O que desejamos é que o leitor tenha sempre boas digestões, e, depois
d'ellas, os sonhos que mais gratos lhe sejam á phantasia.



EXPLICAÇÃO DOS SONHOS


_Segundo os cabalistas mais notaveis da antiguidade_


A

_Abandonado_ de um protector: indica devassidão.

_Abandonar_ seu estado: indica perda por má fé.

_Abbade._ Veja-se _Cura_, _Frade_ e _Padre_.

_Abbadessa_ de um convento: orgulho, malicia de que alguem será victima.

_Abelhas_, para o cultivador: ganho e proveito.--Para as pessoas ricas:
desasocego, inquietação e cuidado. Se põem o mel em algum logar da casa:
eloquencia, dignidade, bom successo; mas perda para os inimigos da mesma
casa.--Tomal-as: ganho notorio.--Matal-as: perda, ruina.

_Abertura_: alvor de esperança.

_Abraçar_ parentes ou amigos: traição.

_Abrigo_, buscar um contra a chuva: pena secreta.--Durante a tempestade:
bons presentimentos.--Achal-o: miseria, desespero.--Contra inimigos. V.
_Inimigos._

_Absintho_, bebel-o: pena diminuta seguida de alegria extrema.

_Abundancia_: falsa segurança.

_Abutre_: doença longa, perigosa, e algumas vezes mortal.

_Academia_ de sabios: aborrecimento, tristeza.--De jogo: engodo, engano.

_Accesso_ em casa de um fidalgo: honra, proveito.

_Acclamação._ V. _Regosijo._

_Accusar_ alguem de um crime: tormento, inquietação.

_Actor, Actriz._ V. _Comedia_, _Tragedia_.

_Adão e Eva_: reconhecimento de creança, adopção.

_Adopção_ de meninos: penas, contrariedades.

_Adorar_ a Deus, seu pae e sua mae: alegria, satisfação.

_Adulterio_: escandalo, contendas futuras.

_Afogado_, vêr um: triumpho de inimigos.

_Agonia_: perda de successão.

_Agraço_: justa segurança.

_Agua_, vel-a bem clara: bom presagio para todo o dia.--Turva:
dignidade.--Bebel-a quente: perigo entre os inimigos.--Bebel-a fria:
cuidado, afflicção.

_Aguadeiro_: tedio, fadiga.

_Aguardente_: soffrimentos, grande dôres.

_Aguia_, gerar uma: grandeza, prosperidade, fama para a creança que ha
de nascer.--Adejando no ar: bom successo nos projectos que cada um
fórma, e especialmente no estado militar.--Voando sobre quem sonha:
honras, dignidades.--Montal-a, atravessar n'ella os ares: perigo
imminente de morte para a pessoa que a montou.--Morta: ruina de um
fidalgo, fortuna de um plebeu.--Caindo com a cabeça para baixo: morte do
sonhador ou de algum seu parente.

_Agulhas_, tel-as alguem: inquietação.--Ser picado d'ellas: desgraça
imprevista.

_Alambique_: inquietação, tormentos.

_Aldeão, Aldeã_: alegria, falta de cuidado.

_Aldeia_, perda de dignidades.

_Alecrim_: boa nomeada.

_Alfaiate_: infidelidade.

_Alfinete_, vêl-o: contradicção.

_Algemas_: livramento, desembaraço.

_Alho_, sonhar alguem que vê alhos ou quaesquer hervas que cheiram mal:
contendas e revelações de cousas occultas.

_Almanak_: urgencia de um proceder mais regular.

_Alteração_: sêde ardente, V. _Sêde_.

_Amazona_: mulher ambiciosa e perfida.

_Amendoa_, _Amendoeira_, ver amendoas: significa riqueza. Comer-lhe o
fructo; denota difficuldade.

_Amigos_, rir com os seus: proxima ruptura.

_Amoras_, comel-as: desgosto, soffrimento, feridas.

_Amoreira_, ver uma ou muitas: fertilidade, abundancia de bens e filhos.

_Anão_: ataque de inimigos fracos e ridiculos.

_Anchovas_: boa fortuna.

_Ancora de navio_: probabilidade em suas esperanças.

_Andorinha_: honestidade da esposa ou noiva.--Vel-a entrar em casa;
noticias de amigos.

_Animaes_, morrerem: fortuna.--Fallar-lhes. V. _Bestas._ _Fallar._

_Anjo ou santo_, ver um: aviso de viver bem uma pessoa e arrepender-se;
augmento de honras e dignidades.--Voando para sua casa: consolação,
alegria, felizes novas.

_Annel_, dar um a alguem; significa damno,--Recebel-o: denota segurança
em seus negocios.

_Anzol_: engano, abuso de confiança.

_Apaziguar_ os gritos de um ente soffredor: violencia, cólera próxima.

_Aposento_, sonhar que mora n'elle o tédio: tristeza.

_Aqueducto_: fortuna patrimonial.

_Ar_ puro e sereno: amizade e estima de todos, reconciliação com
inimigos, descobrimento de furto ou cousa perdida, victoria sobre
invejosos, ganho de demanda, viagem feliz a emprehender, n'uma palavra,
todo o genero de prosperidades e triumphos.--Turvo, nebuloso, sombrio:
tristeza, doença, obstaculos, em summa, tudo ao contrario do sonho
precedente.--Suave e embalsamado pelas flores da primavera: vida
pacifica, costumes brandos, sociedades honestas e agradaveis, bom
successo nos negocios, ou nas viagens.

_Aranha_: somma de dinheiro proporcionada á sua gordura.--Tocal-a:
beneficio.--Matal-a: perda.

_Areia_: duvidas, incerteza.

_Arcebispo_: aviso de morte.

_Arco_, atiral-o destramente: consolação, honra.

_Arco-iris_ da parte oriental: commodidade, riqueza, restabelecimento de
saude.--Da parte occidental: feliz presagio para os ricos, mau para os
pobres.--Sobre a cabeça de alguem ou perto de si: mudança de fortuna,
perigo de vida, ruina na familia.

_Arlequim_, ver um: desgosto brevemente dissipado, malicia, travessura.

_Armas_, ter alguem um monte d'ellas: honras que receberá.

_Arranhadura_: afflicção.

_Arroz_, comel-o: abundancia excessiva, indigestão.

_Armenio_: curiosidade ácerca do futuro.

_Arsenal_: boatos de guerra.

_Arvores_ verdes ou floridas: esquecimento de passados desgostos,
alegria, receio inesperado.--Derribadas, queimadas, feridas do raio:
aborrecimento, receio, dor, desespero.--Sem flores: expedição de
negocios.--Seccas: perda inesperada, abuso de confiança.--Com flores:
alegria, e doce satisfação.--Carregadas de fructos: riquezas.--Derrubar
uma: mal cruel e perdas.--Estar alguem sobre uma grande arvore: poder e
dignidades, boas novas.--Cair d'ella: perda de emprego ou da protecção
dos grandes, em proporção contraria do mal que alguma pessoa tiver
soffrido.--Colher a fructa de uma velha arvore:--herança de pessoas
idosas.--Ser mudado em arvore: doença.

_Assado_, vel-o: alvor de esperança.--Comel-o: ganho, segurança.

_Assassinos_. V. _Cabeça cortada._

_Assobio_: perigo pessoal, maledicencia.

_Astrologo_. V. _Horoscopo._

_Atirador_: religião, surpreza.

_Audiencia_ de um ministro ou de um empregado: luto.

_Ausencia_ de um pai afastado de sua familia: tempestade horrivel,
grande prejuizo, e algumas vezes, incendio.

_Auto de fé_, ver queimar um homem em publico: doença ou perda de
fazenda.

_Autómato_: incapacidade.

_Avelãs._ V. _Nozes._

_Avental_: servidão.

_Azeite_ derramado: perda infallivel.--Sobre si: lucro.--Colhel-o:
grande proveito.

_Azeitonas_ na arvore: liberdade, potencia, amizade, paz, concordia, bom
successo em amores.--No chão: trabalho e pena sem proveito.--Colhel-as:
ganho.


B

_Bacia de mãos_, ter uma cheia de agua, sem d'ella fazer uso: morte na
familia.

_Baile_, achar-se alguem n'elle, ou assistir a uma representação:
alegria, prazer, recreio, successão.

_Bainha_: perda de thesouros, divulgação de segredo.

_Baixella_ de estanho: boa commodidade.

_Balança_: recurso á justiça.

_Balão_: elevação de pouca dura.

_Baleia_: grande perigo.

_Bananeira_: casamento vantajoso, ganho de sentença, herança.

_Banca-rota_: expedição de negocios.

_Banco_: offerecimentos enganosos de serviços.

_Banhar_ em agua limpida: bom successo, perfeita saude.--Em agua turva:
perda de um amigo.

_Banho_, preparar um: noticia de pessoa que nos interessa, prosperidade.

_Banquete_, gosal-o só: avareza, pobreza.--Em companhia: dissipação,
prodigalidade.

_Barba_, tel-a grande e bella: persuasão, perspicacia, resultado
completo em todas as emprezas.--Negra: perda e cuidados.--Russa: erro
proximo.--Arrancada ou feita: perda de bens, de honras ou parentes, para
a pessoa que assim a tem.--Não a ter naturalmente: riqueza.--Ter muito
trabalho em arrancal-a: empreza ruinosa, augmento de miseria para o
sujeito a quem a arrancaram.--Em uma rapariga: casamento prompto e
vantajoso.--N'uma mulher casada: morte do marido, ou abandono proximo,
que a obrigará a dirigir só os trabalhos domesticos.--Em uma mulher
pejada: nascimento de um filho.--Laval-a: tristeza.--Vel-a sêcca:
alegria.--Vel-a fazer a outrem mau signal.

_Barbear-se_: perda de bens, de honras, ou saude.

_Barras_ (jogo das): concorrencia para um emprego, ou no commercio.

_Barrete_ de dormir: instante de deixar os negocios.

_Barris_ e _Toneis_: abundancia.

_Batalha_. V. _Combate_.

_Batel_, passear alguem sobre a agua dentro de um batel: alegria,
prosperidade, segurança nas emprezas, se o tempo estiver sereno e o mar
manso.--Se houver tempestade e ondas encapelladas: indica o contrario.

_Beijar_ a terra: humiliação e pezar--As mãos a alguem: amizade, boa
fortuna.--O rosto: temeridade seguida de bom successo.

_Bella_ (achar-se com a sua): tentação.

_Bem_, fazel-o: nimia satisfação,--Aos mortos: proveito certo.--Ter
grandes bens; motivos de tristeza.

_Berço_ de creança: fecundidade.--De verdura: pezar, cuidado.

_Bestas_, vel-as alguem correr: penas amargas.--Ser d'ellas perseguido:
offensa da parte dos inimigos.--Ouvil-as ornear: tristeza;--Fallar-lhes:
mal proximo.--Luctar com ellas: soffrimento, enfermidades.--Sonhar
matal-as: prazer e saude.

_Bexiga_: falsa gloria, orgulho.

_Bibliotheca_: sabio, ou letrado a consultar.

_Bicho_ da seda: amigos caridosos e bemfeitores.

_Bigodes_ compridos: augmento de fortuna.

_Bilha_: perda por incuria pessoal, ou de outrem.

_Bilhar_: negocio arriscado, ganho incerto.

_Bilhete_ de loteria, se alguem lhe vir os numeros: bom successo. Se os
não vir: despeza inutil, prodigalidade.

_Biscoito_ de embarque, comel-o alguem: proveito, saude.

_Bispo_: grande personagem.

_Boa ventura._ V. _Horoscopo._

_Bôca_, tel-a qualquer fechada, sem poder abril-a: perigo de
morte.--Tel-a infecta: desprezo publico, traição de criados.--Maior do
que deve ser: augmento de honras e opulencia em sua caza.

_Bodas_: pequena satisfação.

_Bófe_, ser n'elle ferido: perigo imminente, desejos frustrados.

_Boi_: criado fiel e muito util, paz interior.

_Bois_, vel-os gordissimos: bom tempo, felicidade proxima.--Magros:
carestia de grãos, fome.--Olhal-os quando sobem: mal e fadigas.--Brancos,
que saltam: honra, proveito, dignidades.--Pretos: perigo
imminente.--Avermelhados: risco de vida.--Lavrando: vantagem
inestimavel.--Sem pontas: inimigos desarmados.--Que combatem uns com os
outros: origem de inimizade.--Quando vão beber: mau signal.--Quando
descansam: serviço feito.--Furiosos: tormento.

_Bóla_, jogar a bóla: boa fortuna.--Vel-a rolar diante de si: demora de
fortuna.

_Bolsa_ cheia: desgostos, pena, miseria, avareza.--Vasia: commodidade,
contentamento de espirito.

_Borboletas_: inconstancia.

_Bordadura_, ver bordar: ambição.

_Botas_, tel-as, ou calçal-as novas: bom successo e ganho.

_Botelhas_: alegria.--Quebradas: tristeza.

_Boticario_: soffrer usura, receber injurias.

_Braço_, tel-o cortado: morte de um parente ou criado, se for o braço
direito; de mulher, se fôr o esquerdo.--Ambos os braços cortados:
captiveiro ou doença.--Quebrados ou magros, de um simples particular:
afflicção, doença, miseria na familia; de um militar em posto elevado:
desastre publico; _v. g._: exercito derrotado, fome ou peste; de uma
mulher casada: viuvez, ou separação.--Sujos: penuria.--Inchados:
riquezas para irmão ou parente querido.--Fortes e robustos: felicidade,
cura, livramento.--Ageis e bem constituidos: graças para
receber.--Maiores e mais nervosos que os ordinarios: alegria e
lucro.--Pertencentes a um filho ou irmão: riqueza inesperada.--Se foi
mulher que teve este sonho: augmento de fortuna, ou poder para seu
marido.--Cabelludos: acquisição de novas riquezas.--Cobertos de sarna ou
ulceras. V. _Ulceras._

_Branco_, estar vestido de branco. V. _Vestido._

_Burro_: pessoa inepta ou ignorante; criado fiel ou zeloso, segundo as
circumstancias relativas ao sonho.--Assentado sobre o trazeiro:
trabalho.--Ver correr um: desgraça proxima.--Ouvil-o zurrar: cansaço,
damno.--Olhal-o no posto: tormento.--Ver-lhe as orelhas: morte d'um
parente.


C

_Cabala_ no theatro: bacharelice, ditos maledicos.

_Cabanas_ nos bosques: trabalho penoso.

_Cabeça_, ver uma sem corpo: lucro.--Lavar a sua; afastamento de
perigo.--Cortar a de um frango: alegria e gosto.

_Cabeça_ de javali, recebel-a: triumpho sobre um inimigo
poderoso.--Offerecel-a: contrariedade, humiliaçao.

_Cabelleireiro_: perigo proximo.

_Cabellos_ mal penteados: amizade, fim de maus negocios.--Embaraçados:
tédio, dôres, ultrajes, contendas.--Caídos: perda de amigos.--Não os
poder desembaraçar: demandas e grandes trabalhos.--Tel-os compridos como
uma mulher: molleza e engano da parte de uma pessoa do sexo.--Tel-os
mais longos e negros que de costume: medrar em honras e
riquezas.--Tel-os mais finos que os usuaes: afflicção e pobreza.--Vel-os
encanecer: aniquilação de fortuna.--Olhar uma mulher sem cabellos: fome,
pobreza, doença.--Homem sem cabellos: abundancia, riqueza,
saude.--Vel-os arrancar da sua propria cabeça: disputa com os seus
melhores amigos.

_Cabras_ brancas: lucro.--Pretas: infortunio.--Tel-as alguem suas: feliz
mediocridade.

_Caça_: accusação de gatunice.

_Cachimbo_: guerra, ou combate singular.

_Cadaver_. V. _Morto._

_Cadeias_: melancolia.--Quebral-as: tormento.

_Cadeira_: distincção.

_Cães_: precaução, valhacouto.

_Café_, vel-o queimar: pena e tribulação.

_Caír_ na agua, se o sonhador acorda sobresaltado: ciladas de inimigos.

_Caixinhas_, tel-as ou tomal-as novas: successo e ganho.

_Cajús_: gosto, saude.--Comel-os: noticias.--Azedos: lagrimas.

_Calçada_: mau recolhimento.

_Calções_: segurança.

_Calhandra_: elevação rápida.

_Camara_. V. _Aposento._

_Camello_: riqueza.

_Caminho_, seguir um direito e facil: alegria, prosperidade, bom
successo.--Escabroso e fatigante: absolutamente o contrario.

_Camisa_: prosperidade vindoura.--Tirar alguem a sua: esperança
baldada;--Tel-a rôta: boa fortuna.

_Campainha_, agitar uma: dissensão caseira.

_Campanario_: fortuna, poder, elevação.--Derribado: perda de emprego.

_Campo_: V. _Trigo_, _Milho_.--Estar n'um campo: manifesta perseguição
da parte de inimigos.--Ir alguem a elle divertir-se: perigo de perder
seus bens.--Fazer lá bem os seus negocios: alegria, lucro,
saude.--Voltar d'elle: afflicção, perda de seus haveres.

_Canal_ navegavel: grande lucro.--Vel-o alguem sêcco: perda de grande
parte de seus cabedaes.

_Canario_: viagem longinqua.

_Canhão_, ouvil-o disparar: ruina proxima.--Vel-o: surpreza damnosa.

_Canivete_: inconstancia, infidelidade conjugal.

_Cantar_, ouvir cantar mulher ou rapariga: afflicção e
lagrimas.--Homens: esperança.

_Cão_, brincar com um cão: damno.--Com muitos: avareza.--Branco: ventura
proxima.--Negro: traição de amigos.--Damnado: receios fundados.--E gato:
disputa, contrariedade.--E cadella: libertinagem. Se elle pertence ao
sonhador: serviço da parte de um amigo fiel, animoso, infatigavel, um
bom criado.--Se fôr alheio: inimigos devassos, infames.--Se elle rasga o
fato: maledicencia da parte de um ente vil, que intenta arruinar a
pessoa, cujo vestuario foi roto.--Se morde: desgostos suscitados por
inimigos.--Pensar n'elle: fidelidade.--Velo dormir: socego.--Vel-o
correr ou ouvil-o ladrar: bom aviso.--Quando late após alguem: calumnia
de inimigo.--Luctando com outros: enredos temiveis.

_Cantor_ ou _Cantora_: gemidos.

_Canticos_, entoal-os: fraqueza, enfermidade.

_Canto_, dos passaro: amor, alegria, prazer.--Sem a pessoa os ver:
contendas.

_Capão_ que canta: tristeza, aborrecimento.

_Capella._ V. _Igreja._

_Capucho_: reconciliação, esquecimento de faltas.

_Carcere_, _Fortaleza_: resistencia imprevista.

_Cardeal_: augmento na profissão que alguem exerce.

_Cardos_, cortal-os: preguiça.--Picasse n'elles: insulto ou desavença de
amigos.

_Carnificina_: perda de filhos ou de fortuna.

_Carro_ elegante: elevação immerecida.--Apeiar-se alguem d'elle: perda
de postos ou dignidades.

_Cartas_ ou _Dados_, jogal-as ou jogal-os: embuste, perda de haveres por
calumnias perfidas.

_Cartas_, escrevel-as a amigos ou d'elles recebel-as: boas novas.

_Cartazes_, pregal-os: deshonra.--Lel-os: trabalho infructuoso.

_Carteira_: mysterio.

_Carvões_, comel-os: prejuizo.--Vel-os accesos e ardentes:
precauções que alguem deve tomar contra seus inimigos, vergonha e
reprehensão.--Apagados: morte ou expedição de negocios; conforme os
ditos carvões estiverem mais ou menos vermelhos.

_Casa_, edificar uma: consolação.

_Casamento_, contrahil-o: tempo feliz.

_Castanhas_: V. _Nozes_;

_Castello_: bom signal.--Entrar n'elle: esperança
lisongeira.--Incendiado e consumido: damno, doença ou morte do
proprietario.

_Cava_, _adega_: doença proxima.--Baixar alguem a ella: molestia
perigosa.--Subir-lhe a escada: alegria.

_Cavalleiro_ derribado do cavallo: perda.--Se alguem monta em seu logar:
bom successo.

_Cavalleria_ numerosa: grande cuidado.

_Cavallo_: feliz agouro.--Tomar, montar um: bom successo seguro.--Negro:
esposa rica e má, perda e damno--Branco: esposa bella e virtuosa, bens a
grangear.--Que manqueja: embaraço ou opposição ás emprezas que alguem
fórma--Ver correr um: bom tempo, desejos perto de cumprir-se.--Montal-o
e domal-o: adiantamento rapido.--Ir a cavallo em companhia de mulheres:
infortunio e traição.--Vel-os de côres varias: falsa accusação.--Ver
alguem o seu montado por outrem: infidelidade conjugal.

_Cavernas._ V. _Subterraneo._

_Cegonha_ ou _Grou_ no ar: chegada de inimigos ou ladrões.--Se fôr no
inverno: tempo desastroso.

_Ceifeiros_: prosperidade commercial.

_Cemiterio_: prosperidade proxima.

_Céo_, ver-se n'elle um fogo moderado, puro e luzente: perigo que corre
algum principe ou grande.--Vel-o todo abrazado: ataque de
inimigos, pobreza, fome, desolação.--Sombrio e nebuloso: fortuna
mediocre.--Sereno: dia feliz.--Claro e sem nuvens: união proxima.
Semeiado de flores: descoberta da verdade.--Subir ao céo: grande honra.

_Cerebro_, tel-o são: sabedoria e bom successo em tudo quanto alguem
emprehende.--Doente e carregado de humores: mau successo, perigos.

_Cervos_ ou _Gamos_, vel-os: ganho.--Matal-os: herança, victoria.

_Cevada_, tocal-a ou passal-a pelas mãos: alegria, lucro.--Comer pão de
cevada: satisfação e saude.

_Chá_: accumulação de negocios.

_Chaminé_: alegria, especialmente tendo fogo acceso.--Se lhe pegou fogo:
traição.--Subil-a: muita confiança e bons negocios.

_Chapéo de sol_: mediocridade, vida branda e obscura.

_Chapéo_ roto ou sujo: damno, deshonra.

_Charrua_ puxada: desespero.

_Chave_: proximo accesso de cólera, mormente se alguem a perde.

_Cheiros_, pol-os na cabeça: orgulho, presumpção, jactancia.

_Chocolate_, tomado; alegria e saude:--Amargo: satisfação.

_Chorar_: alegria, consolação.

_Chumbo_: accusação, severidade.

_Chouriços_, fazel-os: paixão.--Comel-os: namoro, para os mancebos; para
pessoas idosas, saude.

_Chuva_, estar d'ella molhado: afflicção; tédio.

_Cidade_ incendiada e consumida: fome, guerra ou peste.

_Cidra_, bebel-a: disputa, animosidade.

_Cifras_, menos de 90: incerteza.--Mais de 90: bom successo.

_Cigarras_, _Gafanhotos_, _Besouros_, _Grillos_: falladores
insupportaveis, pessimos musicos, perda de colheita, por via de roubo,
etc., mau exito de doença.

_Cirio._ V. _Vela._

_Cisterna_, cair n'ella: calumnia.

_Clister_: negocios enredados.

_Codornizes_: ciladas, questões, furtos.--Vel-as: ter noticias de alguem
ou de alguma cousa.

_Coelho_: fraqueza.--Matar um: engano, perda.--Comel-o; saude.--Branco:
amizade, bom successo.--Negro: desgostos.

_Cofre_ cheio: abundancia.--Vazio: miseria.

_Colchetes_: trabalho de imaginação.

_Cólera_: remate de um negocio muito tempo indeciso.

_Collar_: honra, ceremonia.

_Collegio_, _Estudos_: alegria duradoura.

_Colosso_: ruina proxima.

_Columna_, sua queda: signal de morte proxima.

_Combate_: risco de perseguição.--Ter um; ruido e tumulto em casa do
sonhador.

_Comedia_, vel-a representar: successo seguro.--Lel-a: pena secreta do
coração.--Fazer n'ella um papel: noticia desagradavel.

_Cometa_, vel-o: discórdia e pena.--Vel-o cair: guerra ou fome.

_Commerciar_ em lã: lucro.--Em ferro: desgraça e perda.--Em panno, seda,
setim, velludo ou outros estofos: alegria e proveito.

_Commercio_, empregar-se no seu: favor proximo.

_Commungar_: segurança em negocios.

_Companhia_ (conversar em): perigo de morte.

_Compras_, fazer compras: ganho.

_Concerto._ V. _Musica._

_Concha_ vazia: perda de tempo ou credito.--Cheia: esperança de bom
successo.

_Condemnados_, nas chammas e cruelmente atormentados: tristeza,
arrependimento, tédio, melancolia, doença.

_Confessor_: dar ordem aos seus negocios.

_Conselhos_, dal-os: perda de amigos.

_Contractador de bestas_: impostura, velhacaria.

_Convulsões_: banca-rota fraudulenta de um devedor.

_Copo de agua_, receber um: prompto matrimonio, ou nascimento de
creança.

_Cordas_ ou Cordões: embaraço, fadiga.

_Cordeiros_, crescidos ou dormindo: temor subito.--Tel-os:
consolação.--Leval-os á cabeça: prosperidade futura.--Matal-os:
tormento.--Ser afagado por alguns: esperança lisongeira.

_Corôa_ de outro sobre a cabeça: favor do principe, ou protecção de um
grande, respeito da parte dos inferiores, presentes, demandas,
tentação.--De flores: prazeres sem remorsos.--De ossos de finados: perda
de vida, ou ao menos, cruel doença.--De prata: boa saude.--De verdura:
dignidade.

_Correr_: fortuna, presagio, dita.--Assustado: segurança.--Após seu
inimigo: victoria, lucro,--Nú: perfidia de parentes.--Olhar pessoas
correndo umas atraz de outras: contendas, desordens.--Se forem rapazes:
alegria, bom tempo.--Se tiveram paus ou outras armas: guerra proxima,
dissensão.

_Cortar_ a barba, o pescoço, a cabeça a alguem. V. _Barba_, _Pescoço_,
_Cabeça_.

_Coruja_: desastre ou desgraça--Voando: perigo de morte para pessoa a
quem se dirige.--Grasnando: tristeza.

_Costa_, subir uma: padecimento nervoso.--Descel-a: nova agradavel.

_Côxas_ mais grossas e fortes que as naturaes: parentes com elevadas
dignidades, o que redundará em proveito de quem as tem.--Se fôr mulher
que tenha o sonho: satisfação da parte de seus filhos.

_Crédor_, receber-lhe a visita: segurança nos negocios, misturada com
algum susto.

_Criada_: suspeitas.

_Criminosos_, ver alguns: morte de varias pessoas conhecidas.

_Crueldade_, praticar uma: tristeza, descontentamento.

_Cuco_, vel-o ou ouvil-o cantar: prazer, boa saude.

_Cruz_: salvação, honra, perigos que se evitaram.--Vel-a em alguem:
tristeza.

_Cura_ ou _Padre_: mau presagio, especialmente para doentes e
criminosos.

_Cypreste_: morte, afflicção, ou demora em negocios.

_Cysnes_: riquezas e poder.--Negros: desavença entre casados.--Cantando:
morte.


D

_Dados_, jogar os dados: estar em risco de perder seus beus.--Ganhar
n'esse jogo: herança de algum parente.

_Damas_, ver muitas: bacharelice.--De jogo: incerteza, calculos longos e
penosos.

_Damasco_ ou outros fructos, vel-os ou comel-os: prazer,
contentamento.--Fóra da estação: mau successo.--Sêccos: desgostos.

_Dançar_ o sonhador: doença proxima.--Ver dançar os outros: bom
successo.

_Dançarina._ V. _Comedia._

_Data_, commemorar alguma: negocios concluidos.

_Dedal_: busca vã de trabalho.

_Dedos_, queimal-os: inveja e peccado.--Cortados: perda de amigos ou
criados.

_Deitar-se_ a mulher com o seu marido, quando elle está ausente: más
novas, tristeza proxima.--O esposo com sua esposa; alegria, lucro.--A
mãe com a filha: consolação, ou antes resignação necessaria.

_Dentes_, sentir caír um: perda de uma amiga.--Dianteiros: filhos.--Os
superiores: machos.--Os inferiores: fêmeas.--Queixaes: parentes ou
amigos mais estimados.--Podres: doença, afflicção.--Abalados: doença ou
afflicção de amigos.--Fazel-os arrancar: morte de alguem.--Tel-os
bellissimos: prosperidade e amizade.

_Dentista_: mentira, engano.

_Desenhar_: amisade permanente.

_Desenho_: proposta que se deve recusar.

_Desenterrar_ um morto: impiedade.

_Desertor_: noticias de um ausente.

_Desmaio_: doce voluptuosidade.

_Despejado_: ditos injuriosos contra a pessoa que sonha.

_Deus_, vel-o face a face: consolação e alegria.--Fallar-lhe: jubilo e
felicidade pura.--Se elle estende os braços para o sonhador: benção,
graças divinas, prosperidades.

_Diabo_ com pontas, unhas, cauda e forcado: desespero,
tormento.--Conversar com elle: tentação proxima, desesperação, perda de
bens ou de vida.--Ser por elle arrebatado: presagio de grandissimo
desastre.--Combatel-o: triumphar de inimigos, gloria, satisifação.

_Diamantes_: falsa apparencia de fortuna.--Apanhal-os: perda,
desgostos.--Comel-os: grande ganho, fortuna, recompensa.

_Diarrhea_: doença, perda, desgostos.

_Diffamar_ alguem em sonho: enfermidade, dôres.

_Diluvio_: perda de colheita, de vindima.

_Dinheiro_, contal-o: ganho consideravel.--Vel-o sómente:
cólera.--Gastal-o: perdas proximas.--Achal-o: fortuna vindoura.

_Disciplina_, dal-a a si mesmo ou recebel-a: penitencia para fazer,
castigo a temer.--Dal-a a outrem: imprudencia, temeridade.

_Docel_: thesouro occulto.

_Doces_, comel-os: engano.

_Doente_, vel-o: tristeza, prisão.

_Dôres_: prova de que o sonhador sairá bem.

_Dormir_: tranquillidade enganosa.

_Douradoura_: ganho e felicidade.

_Dragão_: riquezas, thesouros, visita a um superior, a um togado, a um
grande.

_Dragona_: dignidades, especialmente em toga.

_Duello_: desavença entre casados ou entre amigos, rivalidade perigosa.


E

_Eclipse_ do sol: perda notavel.--Da lua: damno mediocre.

_Egua_, bella, vigorosa: esposa rica, moça formosa.

_Elephante_: receio e perigo de morte.--Dar-lhe de comer e beber:
amisade entre parentes.--Vel-o ou possuil-o: amizade e fim de tormento.

_Embaraço_, achar-se n'algum: quanto maior elle fôr, mais facil será o
negocio projectado.

_Emboscada_, armar uma: precauções a tomar.--Caír n'ella: empreza
segura.

_Embriagado_, estar embriagado: augmento de fortuna, volta de saude.

_Emmagrecer_: desgostos, pleito, perda de bens, perigo de doença.

_Encanto_, formar um: audacia e maleficio.--Ser d'elle o objecto: perda
no commercio.

_Enfaixar_ uma creança: bom successo insignificante.

_Enfermo_, ver algum enfermo: afflicção.--Estar enfermo: ausencia de
todos os males.

_Enterrado_, sel-o vivo: risco de infortunio para o resto da vida.

_Enxofre_: pureza, justificação.

_Escada_, subil-a: gloria pouco solida.--Descel-a: tormentos e penas.

_Escalar_, uma casa, um sitio escarpado: victoria, bom successo.

_Escarlate_, vestidos d'essa côr: dignidade, poder, grande auctoridade.

_Escola_, _Escolares_: travessura, malicia.

_Escorpião_: ciladas e infortunios.

_Escrever_ uma carta: noticia.--Uma memoria: accusação.

_Esmola_, dal-a: privação, mediocridade.--Recebel-a: tristeza,
desespero.

_Espada_: victoria e segurança em emprezas.--Receber um golpe d'ella:
desolação, temor.--Ter uma: poder confiado.--Ver uma: traição.

_Espaduas_ inchadas: riqueza para a mulher do sonhador.--Inchadas,
pisadas, etc.: aborrecimento da parte da familia.

_Espargos_ a prumo: bom successo de empresa.--Comel-os: confiança
inspirada.

_Espelho_: traição.

_Espiar_: serviços vergonhosos.

_Espingarda_, dar um tiro de espingarda: proveito enganoso, tédio,
cólera.

_Espinhos_, vel-os: maus visinhos.--Ser d'elles picado: perigo na
fortuna ou emprego do sonhador.

_Espirrar_ de noite: longa vida.

_Esponja_: avareza, má fé.

_Esposar_, sonhar alguem que esposa: doença, melancolia.

_Estalagem_: descanso.--Alojar alguem n'ella: repouso misturado com
inquietaçao fundada.

_Estalo_: hospitalidade, acolhimento favoravel.

_Estandarte_, vel-o fluctuar: perigo, temores fundados.--Empunhal-o:
honra.

_Estante do côro_: jovialidade fina e delicada.

_Estatua_, vel-a: pena, tristeza.

_Esterco_: vergonha e proceder devasso.

_Estojo_: descoberta de objectos roubados.

_Estomago_, ter dôres n'elle: dissipação de fortuna.

_Estorninho_: prazer insignificante.

_Estrangeiro._ V. _Incognito._

_Estreias_, recebel-as: miseria, pezar, tédio.

_Estrellas_, claras e brilhantes: prosperidade, lucro, em jornada, boa
nova, successo prospero e cabal.--Sombrias e pallidas: desgraça
extrema.--Brilhantes na casa: perigo de morte para o chefe da
familia.--Caindo do céo: ruina de uma casa grande.--Caindo através do
telhado: doença, abandono de morada, incendio.

_Estribos_: viagem proxima.

_Estudante_. V. _Escola._

_Estudar_, sonhar alguem que estuda: alegria e contentamento de
espirito.

_Exequias_, de um parente, de um amigo, de um grande: felicidade,
riqueza, successão, casamento vantajoso.--De um incognito, de uma pessoa
pouco importante: malediencia, enredos occultos.

_Exilio_, ver ir alguem para o exilio: lagrimas, ultrajes.--Ir o
sonhador para elle: grande successo, a despeito da inveja.


F

_Facada_, receber uma facada na garganta: injurias ou violencias.

_Facas_, vel-as: injurias, contendas.--Em cruz: briga, morte.

_Face_, tel-a bella: honras, longa vida.

_Faces_, gordas e vermelhas: prosperidade interrompida.--Magras,
chupadas ou amarellas: adversidade subita.

_Falcão_, ter um em punho: honra.

_Fallar_ com animaes: mal e soffrimento.

_Fanal, Farol, Lanterna_: bom successo, honra, lucro.

_Fantasma_ ou espirito trajado de branco, e bello de rosto: consolação e
alegria:--Negro e horrivel: tentação, engano.--Ver muitos fantasmas:
estado angustioso.

_Farinha_: morte na visinhança.--Queimal-a: ruina subita.

_Favas_, comel-as: contendas, dissensões, doença.

_Febre_: desejos ambiciosos, extravagantes.

_Fechadura_: roubo e perda de roupa.

_Feijões_: critica e maledicencia da parte de um subalterno.

_Feira_: tormento, desasocego, precisão.

_Fel_: derramado no corpo: cólera contra os criados, contenda domestica,
perda no jogo, ataque de ladrões.

_Feno_, ver bom feno: accidentes molestos.

_Ferida_, receber uma de um lobo: inimigos perfidos.--Cural-a:
exaltação, ostentação.--Curar uma: serviços que serão pagos com
ingratidão.

_Ferrar_, ver ferrar um cavallo: estorvos, penas.

_Ferro_, pensar n'elle: mau signal.

_Ferrolho_: pena secreta.

_Festa_. V. _Regosijos_.

_Festim_: alegria de pouca dura, ruina de temperamento.

_Fiar_: pezares, tédio.

_Figos_, tel-os na estação propria: prazer e ventura.--Fóra da estação:
desgosto e infortunio.--Comel-os: dissipação de bens.--Sêccos:
decadencia de fortuna.

_Fio_: mysterio, intriga secreta.--Dobal-o; descoberta de um
segredo.--Embaraçal-o: necessidade de occultar um segredo a todos os
olhos.--De ouro: bom exito, á força de intrigas.--De prata: intriga
frustrada.

_Fitas_: commodidade, satisfação.

_Flauta_, tocal-a: contenda, dissensão futura.

_Flores de liz_: grandeza, poder.

_Flores_, colhel-as: beneficio consideravel.--Vel-as, tel-as, ou
cheiral-as na estação propria: consolação, prazer e alegria.--Fóra da
estação: obstaculos e maus successos.--Se forem brancas; tenues
difficuldades; se amarellas: pena extrema; e as mais das vezes, morte,
sendo vermelhas.

_Floresta_, estar n'uma floresta ou prado: vergonha e prejuizo para os
ricos; para os pobres, proveito.

_Fogo_, vel-o: cólera, perigo.--Na chaminé, sem fumo nem faisca: signal
de abundancia.--Apagado: indigencia, necessidade, falta de dinheiro.

_Foguete_: triumpho momentaneo.

_Folhas_, vel-as cair: doença perigosa.

_Folle_: mexericos falsos.

_Fonte_ de agua clara: abundancia, saude.--Vel-a rebentar em sua casa:
honra e lucro.

_Forca_, sentir-se pendurado n'ella: dignidade, elevação.

_Formiga_: tentação.

_Forno_: facilidade, riqueza.--Acceso: abundancia.--Muito ardente:
mudança de logar.

_Fortuna_ (sobre a sua roda): perigo proximo.

_Fosso_, caír n'elle: cilada, traição.

_Frade_: traição de um falso amigo.

_Fricassê_, fazel-o ou vel-o: loquacidade de mulheres.

_Frieiras_: desejos indiscretos.

_Fructos_, comel-os: engano de mulher.--Vel-os bons: prazer, fraqueza de
espirito.

_Fumo_: falsa gloria.

_Furias_: tribulações suscitadas pela inveja, por odio mortal.


G

_Galanteria_, galantear as damas: satisfação, boa saude.

_Galeote_: audacia, animo, força.--Fugindo: desgraça.

_Gato_: traição de parente chegado.--Deitado, ou dormindo: ataque
proximo.--Furioso: ataque de ladrões.

_Gavião_, tomar um: lucro.

_Gêlo_, olhal-o ou caminhar sobre elle: inimigos colericos.

_Gigante_: grande successo, triumpho certo.

_Girafa_, vel-a caminhar: grandeza, elevação.

_Gladiador_: agonia.

_Gota_, se a pessoa é moça: terror pânico; perigo pessoal.--Se fôr
velha, languidez e miseria.

_Grandes_, ser abandonado d'elles: alegria, consolação, bom
successo.--Ser por elles visitado: honra.

_Guardar dentes_: saude, segurança.

_Guela_, cortal-a a alguem: damno involuntario.--Dar-lhe um golpe, e não
morrer: esperança e bom successo.

_Guitarra_: prazeres pouco dispendiosos.


H

_Harpa_: cura de loucura.

_Hera_: amizade.

_Herança_: ruina, miseria, desespero.

_Herpes, Sarna, Ulceras_: riquezas em proporção da grandeza d'esses
males.

_Hervas_ cruas: dôres, embaraços nos negocios.--Comel-as: pobreza,
doença.

_Hervilhas_, comel-as bem cozidas: segurança em negocios, e prompta
expedição.

_Homem_, de bella figura: satisfação, alegria, saude; sendo a mulher a
que sonha.--Questões violentas: ciladas a temer, se fôr homem.--Trajado
de branco: bens futuros.--De negro: perda consideravel.

_Homicida_, sonhar com elle: segurança.

_Horoscopo_: engano.

_Hospital_: miseria, privações.

_Hydropesia_: precisão, prenhez mysteriosa.


I

_Idolatria_: maus negocios.

_Ictericia_: riqueza, fortuna imprevista.

_Idolatra_: maus negocios.

_Igreja_, edificar uma: amor divino, prosperidade.--Entrar n'ella:
proceder honroso.

_Ilha_: tédio, solidão.

_Illuminação_: lagrimas.

_Imagens_: desgostos, injurias, sendo bem feitas.--Prazer: alegria,
transportes, sendo grosseiras.

_Immundicia_: benevolencia de que o sonhador será victima.

_Imperador_, ver um e conversar com elle: projecto de evasão, fuga,
inquietações.

_Imperatriz_: perda de postos, de dignidade, de reputação.

_Impotencia_: fortuna imprevista, illustração.

_Incendio_, vel-o: perigo.--Apagal-o: fortuna.

_Incenso_: lisonjeiros, parasitas, traição.

_Incognito_, ver um incognito: alegria, honra, bom successo e expedição
de negocios.

_Incude_: trabalho, segurança.

_Inferno_, escapar-lhe: desgraça, se fôr o sonhador rico e poderoso; se
fôr pobre e doente: consolação, allivio.

_Inimigos_, conversar com os seus: desconfiança saudavel.--Jogar com
elles: desvantagem.--Ser tomado por elles: embaraço, negligencia,
preguiça.

_Injurias_: signaes de amizade, favor.

_Inquisidor, inquisição_: innocencia perseguida e triumphante.

_Instrumentos_, ouvil-os: cura de achaques.--Tocal-os ou vel-os tocar:
exequias.

_Intumecimento_: trabalho, fadiga.

_Inundação_: ruina imprevista, accidentes graves.

_Inventario_: banca-rota, na qual o sonhador será parte.

_Irmãos e irmãs_: proveito e jubilo.--Fallar-lhes: enfado.--Longa vida:
se o sonhador os viu mortos.


J

_Janella_, pôr-se a ella: demanda que redundará em proveito do
sonhador.--Descer por ella: quebra de um parente proximo, humiliação.

_Jardim_, cultival-o, admiral-o: prosperidade proxima.

_Javali_, perseguil-o e impossibilital-o de fazer mal: victoria,
satisfação.

_Jejum_: temores mal fundados.

_Jesus Christo_, fallar-lhe: consolação.

_Joelhos_, ver alguem de joelhos: demora em suas emprezas.

_Jogo_, ganhar ao jogo: perda de amigos.--Perder: allivio.--Jogos
innocentes: alegria, saude, prazer, prosperidade, união de familias.

_Judeu_: engano, roubo, directo ou indirecto.--Se elle fizer algum
serviço: felicidade inesperada, bons successos.

_Juizes_: malicia e crueldade.--Se o sonhador tem alguma cousa a
exprobrar-se: desculpa.--Exercer-lhe as funcções: tédio.

_Jurar_, ou ouvir jurar: tristeza e muito má noticia.

_Justiça_, ser por ella castigado: amores, infidelidades.

_Justificar_, justificar-se de uma accusação: merito raro.


L

_Labios_, tel-os vermelhos: saude dos amigos e conhecidos, de que o
sonhador não tem noticia.

_Laboratorio_: perigo de doença.

_Labyrintho_: segredo descoberto.

_Lacaios_: inimigos occultos.

_Laços_: achar-se preso n'elles: embaraço, trabalho em saír de algum
negocio.

_Ladrão_, entrando furtivamente em casa do sonhador: segurança dos
negocios.

_Lagoa_, ver uma pequena: bagatela, miseria, apesar do trabalho.

_Lagosta_: dôr, desunião.

_Lampada_: afastamento de negocios.--Accesa: paixão e penas.

_Lampeão_, acceso: alegria, felicidade.--Apagado: miseria, loucura.

_Laranjas_, vel-as: ou comel-as: feridas, dôres, ou grandes desgostos.

_Laranjeiras_: lagrimas, aborrecimento.

_Leão_, comer-lhe a carne: riquezas, honra, poder, vindos do
principe.--Luctar com elle: contenda, questão perigosissima.--Vencel-o:
bom successo cabal.

_Lebre_: amizade.--Ver muitas lebres: lucro.--Poucas: perda.

_Legumes_, vel-os na terra: afflicção, trabalho.

_Leite_, beber leite: amizade de mulher.--Entornal-o: perda no
commercio.

_Lentilhas_, comel-as: occupação.

Leôa e Leõesinhos: felicidade domestica.

_Lepra_: proveito, riqueza com infamia.

_Leque_: rivalidade, pequena perfidia.

_Ler _comedias, etc. com gosto: consolação e alegria.--Livros serios:
sabedoria, virtude.--Escripturas: boa fortuna.

_Licores_: gostos falsos.

_Ligas_: doença.

_Lirio_, fóra do tempo: esperança enganosa.

_Lobo_, vel-o: avareza.--Ser d'elle mordido: inclinação baldada.

_Loteria_, vel-a tirar: ganho no jogo.

_Lunetas_: desgraça, melancolia.

_Lustre_ cheio de velas accesas: acquisição.

_Luvas_ nas mãos: honra.

_Luzes_, ver muitas: lucro.


M

_Macaco_: inimigo malicioso, mas fraco, estranho ou incognito.

_Macarrão_: goloso, parasita.

_Machado_: perigo de morte.

_Macho_, vel-o: malicia, capricho louco.

_Macieira_, ver uma e comer-lhe o fructo maduro: contendas, cólera
contra amigos.

_Madeiramento_: operações ruinosas.

_Magico_: acontecimentos imprevistos, surpreza.

_Manhã_, levantar-se pela: lucro, vantagem.

_Mãos_, laval-as: trabalho, inquietação.--Olhal-as: doença.--Cabelludas:
captiveiro, tédio.

_Marcha_ rapida: negocio urgente.

_Marchar_ com passo firme: instrucção de que o sonhador tirará proveito.

_Margem_: ventura, tranquillidade.

_Marinheiros_: perigo na viagem.

_Mariola_: assistencia de amigos, ou parentes.--Carregado: ajuda;
solicitada e recusada.

_Marmore_: desavença, frieza.

_Marmota_: pobreza, preguiça.

_Martello_: oppressão.

_Martyrio_, soffrel-o pela fé: honras e venerações publicas.

_Mascarada_: astucia, engano.

_Mofar_ alguem, e acordar sobresaltado: tranquillidade de espirito, paz
de coração.

_Mechas_: riquezas, thesouros.

_Medico_, sel-o: gracejo.

_Mealheiro_ dos pobres: penuria.--Roubal-o: fortuna.

_Meirinho_: ciladas, accusação de falsos amigos.

_Mel_, comel-o: bom successo em negocios, segurança em jornada.

_Melro_: maledicencia, suspeitas.

_Memoria_, compôr uma: accusação.

_Mendigo_: desgostos domesticos.

_Meza_, ver uma: alegria.--Pôr-lhe a toalha: abundancia.

_Metamorphose_: viagens, mudança de sitio.

_Menino_ com sua ama: doença perigosa.

_Milho_, campo de milho: grandes riquezas adquiridas sem
difficuldade.--Comel-o: penuria absoluta.

_Missa_, ir ouvil-a: satisfação interior.--Cantada: alegria ruidosa.

_Mocidade_, ver-se moço: felicidade, bom tempo a passar.

_Moeda_, cunhal-a: lucro, ditoso porvir.--Fabrical-a falsa: vergonha e
exprobração.--Introduzil-a no commercio: destreza e perigo.--Tel-a de
ouro: angustia.--De prata: mediocridade.--De cobre: fortuna brilhante.

_Moer_ trigo: riqueza.--Pimenta: espera incerta ou prolongada,
melancolia.

_Moinho_: riqueza e bom successo, em proporção de sua rapidez.

_Molhos_: mentiras, falsas novas.

_Montanha_, subil-a: pena ou jornada no fim de certo tempo.--Descel-a:
successo pouco importante.

_Monte-pio_: fortuna, empregos, honra.

_Morangos_: lucro inesperado.

_Morcegos_ brancos: meio-successo.--Pretos: afflicção.

_Mordedela_, temel-a no pé, dada por cobra, etc.: inveja.--Sentil-a:
ciume.

_Morto_, beijar algum: longa vida.--Ver algum no esquife:
indigestão.--Ver morta alguma pessoa, que tem saude e vida: tédio,
desgosto, perda de sentença.--Estar morto: favor de um grande, riqueza,
longa vida perturbada por invejosos.

_Movel_: riqueza, fortuna.

_Môcho_: enterro.

_Mula_, ter uma: augmento de negocios.--Carregada: embaraço.

_Mulher_, ver uma: doença.--Trigueira: doença perigosa.--Clara:
livramento.--Pejada: nova agradavel.--Ouvil-a ralhar: grande tormento.

_Multidão_: importunidade.

_Musica_, ouvir cantar e tocar instrumentos: alegria.--Melhoras para a
pessoa que está doente.

_Myrtho_: declaração amorosa.


N

_Nabos_, vel-os ou comel-os: esperanças mal fundadas.

_Nadar_: prazer, commodidade, voluptuosidade.

_Nariz_, vel-o mais grosso que o usual: riqueza e poder.--Perdel-o:
adulterio.--Tel-o monstruoso: abundancia.--Ver dois: discordia e
contendas.

_Nascimento, nascer_: boa fortuna.

_Navio_, no mar: feliz presagio para o que o sonhador deseja.--Á vela:
boa nova.--Ricamente carregado: volta do bom tempo.--Impellido pelas
ondas: perigo.

_Negro_: ver um nú: tristeza, desgosto, damno.

_Neve_, brincar com a neve: colheita abundante.

_Ninho_, achar um: lucro.--De cobras, etc.: inquietação grande.

_Nivel_: juizes incorruptiveis.

_Nó_: embaraço.--Fazer um: enleio, perturbação.--Desatal-o: desenredar
os seus negocios e os dos outros.

_Nozes_, _Avelãs_, _Castanhas_, etc.: perturbações, difficuldades
seguidas de riquezas e satisfação.--Achal-as quando escondidas:
descoberta de um thesouro.

_Nú_, estar nú: doença, pobreza, affronta, fadiga.--Correr nú: parentes
perfidos.--Ver sua mulher nua: engano.--Seu marido nú: segurança e
felicidade nas emprezas.--Seu amigo ou criados nús: discordia,
contenda.--Um homem nú: motivo de horror.--Uma mulher nua: honra e
alegria.--Sendo velha, etc.: arrependimento, vergonha, má fortuna.

_Numero_, contar o das pessoas presentes: dignidade, poder, ambição
satisfeita.

_Nuvens_: vel-as precipitar umas sobre outras: discordia na familia.


O

_Obras_ rudes ou grosseiras: escravidão.

_Obreiros_, vel-os trabalhar: reprehensões e queixas que alguem
soffrerá.--Empregal-os: lucro.--Pagal-os: amor do povo.--Despedil-os:
perigo para o visinho.

_Oculista_: falta a reconhecer, reparação a fazer.

_Offerta_ e votos á Divindade: volta á ventura, amor divino.

_Olho_, perder um: morte de ascendentes.

_Olhos_, doentes: perda de filhos ou amigos.--Chorosos ou remelosos: bom
senso, discernimento, juizo profundo.

_Oliveira_, cheiral-a: casamento proximo.

_Orgão_: morte de parentes.--Ouvil-o: alegria, herança.

_Orgãos_ doentes: vergonha, infamia imminente.

_Ornatos_ de igreja: tranquilidade de espirito.

_Ortigas_ ou _Cardos_: traição.--Ser por ellas picado: prosperidade.

_Ossos_ de morto: penas e obstaculos.

_Ostras_: amizade, alegria.

_Ouro_, fazel-o: tempo perdido.--Maneal-o: cólera.--Achal-o:
lucro.--Juntal-o: engano e perda.--Falso: riqueza, grandeza.

_Ovos_, em pequeno numero: ganho e lucro.--Em grande quantidade: perda
de demanda.--Brancos: pequena vantagem.--De côr ou duros: grande
desgosto.--Quebrados: pena, bacharelice.


P

_Pá_: trabalhos ingratos.

_Pacto_ com o diabo: bom successo por meios illicitos.

_Pae_, ver o seu: alegria.

_Padre_. V. _Cura_.

_Palacio_, ver um: inveja.--Habital-o: favor dos grandes.--Destruil-o:
poder usurpado.

_Palacio real_: intriga, complicação de negocios.

_Palha_, espalhada aqui e alli: miseria, aperto.

_Palissada_: estorvo repentino.--Transpôl-a: segurança, fortuna,
triumpho.

_Palito_: mau signal.

_Pallio_: esperança de cura para um amigo doente.

_Palmas_: gloria e homenagem.

_Pão trigo_, comel-o: lucro.--Quente: accusação.--Amassado: grande
prazer proximo.

_Papa_: felicidade na outra vida.

_Papagaio_: descoberta de um segredo.

_Paraizo_: infortunio, miseria, desgostos caseiros.

_Paralysa, Paralytico_: miseria, doença.

_Parentes_: erro, perfidia.

_Passaros_, apanhal-os: gosto e lucro.--Matal-os: damno.--Atirar-lhes:
ataque surdo da parte de inimigos.--Juntos: bacharelice,
demanda.--Vel-os luctar: tentação.--Voar sobre o sonhador:
perda.--Ouvil-os chilrar: bom successo.--Mudar-se em passaro: mutação de
bens.

_Passeio_, dar sósinho um passeio: segurança.--Para dois amantes:
felicidade passageira.

_Pastelaria_ ou _Doces_, fazel-os: alegria e ganho.

_Patos_, vel-os: honra e favor da parte do soberano.--Grasnando: lucro e
segurança em negocios.

_Paus_, jogal-os: pezar, desgraça.--Vel-os caír: ruina de um grande ou
de um negociante.

_Pavão_, ver um empavesando-se: riqueza.

_Peça_ (de artilheria). V. _Canhão_.

_Pedras_, caminhar alguem sobre ellas: pena e soffrimento.

_Pedreiro_: tédio, fadiga, gastos loucos.

_Peito_ bello e são: saude e alegria. Cabelludo: lucro ao homem.--Na
mulher: perda do marido.--Largo: vida longa e fortunosa, em annos
maduros.

_Peixeira_: gosto seguido de pezares.

_Peixes_, pescal-os grandes: alegria e lucro.--Pequenos: desgosto e
ruina.

_Pélla_, jogal-a: trabalho e pena em adquirir haveres, contendas,
injurias.

_Penuria_: perda proxima.

_Pepinos_ ou _Melões_, comel-os: falsa esperança, cura prompta, se o
sonhador está doente.

_Pequeninos_, ver os pés aos seus: alegria, lucro, saude, prazer,
consolação.

_Perdão_: saudades, desgosto, luto.

_Perdiz_: trato com mulheres ingratas, falsas, maliciosas.

_Perfumes_, compôl-os ou distribuil-os a seus amigos: noticias
agradaveis para elles e para si mesmo.--Recebel-os de presente: ganho,
lucro, honra, gloria.

_Peregrino, Peregrina_: feliz presagio.--Sel-o: impenitencia.

_Pergaminho_: firmeza, tenacidade.

_Pernas_, vel-as sãs: alegria, ventura.--Inchadas ou cortadas: perda,
damno.

_Perolas_: miseria, tristeza.--Pescal-as: penuria, fome.--Enfial-as:
tédio, solidão.

_Perú_: amigos ou parentes a ponto de endoudecerem.

_Pés_, ter dores n'elles: allivio proximo.--Beijar os de outrem:
arrependimento, mudança de proceder.--Laval-os: golodice.--Sujos:
tribulações, doença vergonhosa.

_Pescar_ á linha: paciencia, esquecimento de injurias.

_Pescoço_: honra, herança.--Inchado por tumor: enfermidade proxima.

_Peste_, ser acommettido por ella: fortuna divulgada, que alguem quer
tirar ao sonhador.

_Pimenta_: birra, teima.

_Planicie_ vasta e extensa: alegria, bom successo.

_Plantas_, comel-as: fim de desgosto, expedição de negocios.

_Poço_, tirar-lhe agua clara: casamento vantajoso.--Turva: doença,
hymeneu funesto.

_Poltrona_: logar eminente.

_Pombo_ branco: consolação, devoção, feliz exito em negocios.

_Pomba_: alegria, beneficio, surpreza.

_Pontas_, de um animal: queda n'um fôsso.

_Ponte_, passar uma: trabalho.--Vel-a rubra ou quebrada: justo
mêdo.--Caír d'ella: desarranjo no cerebro.

_Porco_: pessoa ociosa, preguiçosa, avara.

_Porco espinho_: negocio delicado, escabroso.

_Porta_, arrombal-a: prisão muito proxima.--Queimada: morte do dono da
casa.

_Porto_ (de mar), ver um: alegria, lucro, boa nova.

_Prado_, achar-se n'elle: gosto e saude.--Vel-o tosar: bom signal.

_Prata_: penuria.--Vendel-a: melhora em negocios.

_Prateleira_: acontecimento notavel.

_Precipicio_: caír n'elle: grandes ultrajes e riscos.

_Presentes_, offerecel-os: ruina, decadencia.--Recebel-os: lucro em
casa.

_Presunto_: salario, recompensa.--Comel-o: augmento de familia ou
fortuna.

_Principes_, habitar com elles: favor precario.

_Prisão_, entral-a: salvação.--Viver n'ella: consolação.

_Processo_: amisade consideravel.

_Procissão_: felicidade, alegria.

_Profanação_: infortunio, miseria.

_Provisão_: dinheiro ou fato roubado.

_Pulgas_: aborrecimento, dissabor, incommodo.

_Punhal_: ferir com elle alguem: desgostos supperados, inimigos
vencidos.--Receber uma punhalada: noticia de morte.

_Punhos de camisa_: honras, empregos.--Rotos: perda de emprego.

_Pustulas_, tel-as no corpo: riquezas em bens territoriaes ou em
dinheiro.

_Pyramides_: grandeza e riqueza.--Estar sobre as suas pontas: boas
acquisições.


Q

_Quarentena_, fazel-a: desleixo, loucura.

_Queijo_: contrariedade.--Comel-o: ganho, lucro.

_Queijos_: riquezas para algum parente ou amigo.

_Querela_: constancia em amizade.--De homens: inveja.--De mulheres:
grande tormento.--Dos dois sexos: amor quasi a nascer.


R

_Rabanos_, comel-os: doença de um parente ou amigo intimo.

_Raio_, vel-o caír junto a si: exilio ou fugida.

_Raizes_, comel-as: discordia.

_Raposa_: surpreza por ladrões.--Fazel-a fugir: inimigo cauteloso e
maligno.

_Rapto_: pedido de casamento.

_Rato_: inimigo occulto e perigoso.

_Ratoeira_: precaução que deve tomar-se contra a maledicencia.

_Rebeca_: boa harmonia entre casados.

_Rebique_: traição, falsidade.

_Recibo_: esquecimento de injurias, perdão, absolvição.

_Rede_ para pescar: chuva, ou antes mudança de tempo.

_Regato_ de agua clara: presagio de emprego honroso e lucrativo.--De
agua turva: perda e damno da parte dos inimigos, incendio, e demanda.

_Regosijos_ publicos: miseria pessoal.

_Rei_, ver um rodeado de sua côrte: engano, ciladas, lisonjas.--Só:
clemencia, perdão de injurias.

_Relampagos_ ou _Signal no céo_: discordia, guerra.

_Reliquia_: thesouro em perigo.

_Remedio_, tomal-o a custo: penuria.--Alegremente: desleixo.

_Relogio_: emprego de tempo.

_Repouso_, tomal-o: perseguição.

_Repuxo_: falsa alegria.

_Retrato_: longa vida á pessoa que elle representa.--Receber um ou
dal-o: traição.

_Ricos_, estar ou conversar com pessoas ricas: odio sem lucro, triumpho
sobre seus inimigos.

_Rir_, ouvir rir a bandeiras despregadas: contrariedade para o sonhador.

_Rival, rivalidade_: empreza desgraçada.

_Rochedo_: trabalho e pena.--Subil-o a custo: bom successo
tardio.--Descel-o: perda de parentes ou amigos.

_Roda_: arranjo de negocios difficeis.

_Roda_ da fortuna: perigo.

_Rodas_, vel-as: doença.

_Rôla_: fidelidade, bom consorcio.

_Rosas_, vel-as na estação propria: bom signal. Fóra da estação: mau
signal.

_Rosto_, magro e pallido: tédio, pobreza, carestia de viveres.

_Roubar_ roupas: queda e ruina proxima.

_Roubo_ de fato, dinheiro, comestiveis: morte ao sonhador ou a algum de
seus parentes ou amigos.

_Rua_: acolhimento favoravel.

_Ruinas_: fortuna, bom successo, triumpho.


S

_Sabão_: negocios desenredados, assistencia de amigos ou parentes ricos.

_Sabios_, conversar com elles: engano, illusão.

_Saca-rolhas_: fortuna imprevista.

_Sagracão_ de um rei ou soberano: felicidade, bom successo, triumpho
momentaneo.

_Sal, Saleiro_: sapiencia.

_Salmão_ fresco: triste presagio, desunião nas familias.--Salgado: união
perfeita.

_Sanfôna_, ouvil-a: acontecimento desagradavel.--Tocal-a: desgostos
retardados.

_Sangrar_ pelo nariz: vergonha, geral desprezo.

_Sangue_, perder o seu: dôres de cabeça, enxaqueca.--Em quantidade:
fortuna.

_Sanguesuga_: avareza, usura.

_Sapateiro_: entrega de algum dinheiro.

_Sapatos_: pobreza, tédio, pezar.

_Sapo_: desavença entre amigos.

_Sarau_, _Baile_: mexericos, enredos, invejas.

_Sardinhas_: azedume, contenda domestica.

_Saude_: mau presagio para doentes.

_Seda_: riqueza, grandeza.

_Sêde_ ardente: tristeza.--De agua turva, corrupta, etc.: afflicções e
doenças, que durarão toda vida.

_Seio_ de mulher cheio de leite: casamento proximo.

_Seio_ de mulher arranhado, ensanguentado: esterilidade.--Murcho ou
enrugado: doença de menino.

_Semeadora_: riqueza, alegria, saude.

_Seminario_: falsidade, traição.

_Senado_: borrascas politicas.

_Sentinella_: desconfiança, segurança.

_Sereia_: traição, melancolia duravel.

_Seringa_. V. _Clister_.

_Serpente_: seducção proxima.--Que se enrosca: odio, doença, prisão,
perigos.--Matar uma: victoria sobre seus inimigos ou invejosos.--Com
varias cabeças: seducção proxima, peccado.

_Serra_: expedição de negocios, bom successo, satisfação.

_Serralheiro_: flexibilidade, esquecimento de si mesmo.

_Sobrancelhas_ e _Palpebras_, mais compridas que as naturaes: bom
successo em amor, boa fortuna.

_Sol_, vel-o: expedição de negocio ás claras.--Quando se põe: nascimento
de uma filha.

_Soldados_: cansaço, tédio.

_Soldo_: pobreza.

_Somnambulo_: descanso interrompido, agitação, tumulto.

_Sortilegio_: engano, falsidade.

_Subterraneo_: viagem.

_Suicidio_: desgraça que o sonhador motivará a si mesmo.

_Supplicio_, soffrer um: honras, respeitos por algum tempo.


T

_Tabaco_, tomal-o: prazer sensual.--Espalhal-o: despeito.

_Tafetá_: riqueza brevemente desbaratada.

_Tambor_: perda insignificante.

_Tamborete_: dignidade puramente honorofica.

_Tartaruga_: inimigo secreto.--Comel-a: pequeno successo, obtido por
longas fadigas.

_Tecto_: commando, dignidade.

_Tempo_ (bello): segurança enganosa.

_Tenazes_: tormento, perseguição.

_Tendas_: guerras ou contendas proximas.

_Terra_, vel-a negra: tristeza, melancolia, hypocondria.

_Testa_ larga e alta: espirito e juizo.

_Têtas_ cheias de leite: ganho.

_Tez_, pallida, amarella ou chumbada: doença proxima, febre longa e
perigosa.

_Thermometro_: trama, ataque occulto á reputação.

_Tigre_: inimigo invejoso, furioso, irreconciliavel.

_Tinta_: reconciliação.--Derramada: desavença prolongada.

_Tio_, ver o seu ou sua tia: contendas caseiras.

_Torrente_: caminhar em sua agua: desgostos, adversidades.

_Tosse_: indiscrição.

_Toupeira_: cegeira moral.

_Touro_: personagem do qual o sonhador receberá bem ou mal, segundo o
vir grande ou mediano em seu vulto.

_Tragedia_, ver representar uma: perda de amigos e de bens, tristeza.

_Tremor_ de terra: perigo para a vida do sonhador.

_Triangulo_: objecto de respeito e duração.

_Trigo_: riqueza.--Leval-o: enfermidade.

_Tumulo_, estar dentro d'elle: perigo e trabalho.


U

_Ulceras_ ou _Sarna_, nas pernas: cuidados, desgostos.--Nos braços:
perda de tempo, dôres.

_Umbigo_: más novas de pae ou mãe; perigo de sua morte.

_Unguento_, fazel-o: alegria.--Usal-o: grande lucro.

_Unhas_, mais compridas que as usuaes: grande proveito.--Mais curtas:
perda e desgosto.

_Uniforme_, trazer um: gloria, valor, celebridade.

_Urso_, vel-o: inimigo rico, poderoso, audaz, cruel mas inhabil.--Ser
atacado por algum: perseguições, das quaes o sonhador sairá bem.

_Uvas_, comel-as em sua madureza: alegria, ganho, goso,
volupia.--Verdes: pequena contrariedade seguida de grande
lucro.--Sêccas: perda, cuidado, amargura.--Pizal-as: victoria sobre seus
inimigos.--Vermelhas: exprobração.--Brancas: innocencia.


V

_Vaccas_, possuil-as: contrariedade.

_Vaso_, ver um junto a uma fonte: trabalho.

_Veias_: desgostos.

_Véla_: fazel-a: alegria, satisfação.--Accesa demora nos negocios.

_Velha_: sabedoria.

_Velludo_: honra, riqueza.

_Vencer_ sua mulher: desordem e devassidão.--Seu marido: deshonra
proxima.

_Veneno_: peste, contagio.

_Vento_: perigo de fortuna, agonia.

_Ventoinha_: favor de um grande.

_Ventre_ esgalgado: desembaraço de um mau negocio.

_Véo_ de mulher: modestia, boa qualidade na pessoa amada.

_Verdura_: diversão no campo.

_Veste_, ver uma, ou tel-a sobre o corpo: miseria não
merecida.--Bordada: fortuna.

_Vestido_ branco: jubilo para quem o traz.--Sujo, roto ou grosseiro:
tédio, tristeza futura, peccado, vituperio, desprezo geral.--Coberto de
ouro ou bordado: jubilo, respeito, honra.--Trazel-o de côres varias:
desgostos.--Preto: alegria.

_Viajar_ a pé: trabalho, demora.--Em companhia: bacharelice.--Em coche:
fortuna segura.

_Vianda_: alegria.--Comel-a: jubilo agudo por saudades, damno.--Negra ou
dura: perdas, desgostos.

_Vibora_: inimisade irreconciliavel.

_Victoria_: lagrimas.

_Vidro_: situação precaria.

_Vinagre_ vermelho: affronta pessoal.--Branco: insulto feito a
outrem.--Bebel-o: contrariedades domesticas.

_Vindima_: prazer, saude, alegria, riquezas proporcionadas á quantidade
da uva.

_Vingança_: demanda longa e ruinosa.

_Vinho_ turvo: riqueza.--Bebel-o puro: força, vigor, saude.--Aguado:
debilidade de saude.

_Violeta_, na estação propria: bom successo.--Fóra da estação: demanda,
perda de amigos.

_Visinho_, _Visinha_: discursos mais ou menos perigosos.

_Visita_ do medico: lucro.--Recebel-a: lagrimas.--Fazel-a: contenda
injusta.

_Vista_, tel-a longa e aguda: felicidade e bom successo em todas as
emprezas.

_Viuvez_: satisfação, jubilo.

_Vivandeiro_, _Vivandeira_: recurso para o instante ultimo.


Z

_Zebra_: amizade mal empregada, ingratidão.

_Zephyro_: inquietação insignificante.

_Zero_: poder, fortuna.

_Zodiaco_ (ver um signo do): fortuna para a loteria.



TABELLA dos dias de felicidade e infelicidade em todos os mezes do anno,
segundo a opinião de alguns visionarios


  Mezes           Dias felizes            Dias infelizes
  Janeiro         4, 19, 27, 31           13, 23
  Fevereiro       7, 8, 18                2, 10, 17, 22
  Março           3, 9, 12, 14, 16        13, 19, 23, 28
  Abril           5, 27                   10, 20, 29, 30
  Maio            1, 2, 4, 6, 9, 14       10, 17, 20
  Junho           3, 5, 7, 9, 12, 23      4, 20
  Julho           2, 6, 10, 23, 30        5, 13, 27
  Agosto          5, 7, 10, 14, 19        2, 14, 27, 31
  Setembro        6, 10, 15, 18, 30       13, 16, 22, 24
  Outubro         13, 16, 23, 31          3, 9, 27
  Novembro        3, 13, 23, 30           6, 25
  Dezembro        10, 20, 29              15, 28, 31



TABELLA
Do grau de veracidade ou falsidade dos sonhos, segundo a influencia que
n'elles exerce a idade da lua


  Dias da lua         Grau de veracidade ou falsidade dos sonhos
  1                   O sonho n'este dia é precursor de felicidade.
  2                   Inteiramente falso.
  3                   Não terá effeito algum.
  4                   Annuncia felicidade, que, sem duvida, se realisará.
  5                   Sem utilidade.
  6                   Havendo discrição, annuncia bom resultado.
  7                   Deve tomar-se em consideração, porque se realisará.
  8                   Tambem é realisavel.
  9                   Terá effeito antes do fim do dia.
  10                  Realisa-se com proveito.
  11                  Verifica-se dentro em quatro dias.
  12                  Verifica-se justamente o contrario do que se sonhou.
  13                  Realisavel.
  14                  Tardará muito a verificar-se.
  15                  Se fôr de numeros, entrae na loteria.
  16                  Verdadeiro.
  17                  Não se deve contar antes de passar o terceiro dia.
  18                  Effeito demorado.
  19                  Dará alegria.
  20                  Terá effeito dentro de quatro dias.
  21                  Não merece attenção.
  22                  Dentro de alguns dias terá effeito.
  23                  Realisa-se em tres dias.
  24                  Verifica-se completamente.
  25                  Terá effeito demorado.
  26                  Merece attenção, porque será util.
  27                  É veridico.
  28                  O mesmo.
  29                  Annuncia fortuna.
  30                  É mentiroso; acontecerá o contrario.


FIM DA PRIMEIRA PARTE



OBRAS RECREATIVAS
Á VENDA
Na Livraria Portugueza--Editora
de
JOAQUIM MARIA DA COSTA
_55, Largo dos Loyos, 56--Porto_


_Oraculo (o) da Noite_--primeira parte--ou o modo seguro de adivinhar o
futuro pela verdadeira interpretação dos sonhos, ao alcance de qualquer
pessoa. Preço... 100

_Oraculo (o) das Salas_--segunda parte--ou o modo seguro de adivinhar o
futuro por meio da verdadeira interpretação das sortes e adivinhas e
muitos outros jogos honestos e recreativos. Preço... 160

_Oraculo (o) dos Segredos_--terceira parte--ou collecção de muitos
segredos uteis a todas as pessoas, e para a cura radical de muitas
molestias conhecidas e desconhecidas. Preço... 160

_Oraculo (o) das Flores_--quarta parte--ou verdadeiro modo de adivinhar
o futuro, pela innocente significação e definição da verdadeira
_Linguagem das Flores, Plantas e Arvores_, em forma de Diccionario, ao
alcance de todas as pessoas. Preço... 100

_Oraculo (o) das Sinas_--quinta parte--ou verdadeira arte de adivinhar o
futuro, por meio da interpretação da Sina de qualquer pessoa, explicado
de um modo claro e facil ao alcance de todas as intelligencias. Preço...
100

_Oraculo (o) da Magica_--sexta parte--ou o _Espelho Magico do Anão_,
seguido da interessante descripção de um _Castello encantado_, ou o
_Monte do Castello das Fadas_, Preço... 100

_Oraculo (o) dos Astros_--setima parte--ou a verdadeira arte de
conhecer os segredos dos astros pela regular rotação e pelos signaes
que se observam de noite e dia, durante as quatro estações do anno.
Preço... 100





*** End of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "O Oraculo do Passado, do presente e do Futuro (1/7) - Parte Primeira: O oraculo da Noite" ***

Doctrine Publishing Corporation provides digitized public domain materials.
Public domain books belong to the public and we are merely their custodians.
This effort is time consuming and expensive, so in order to keep providing
this resource, we have taken steps to prevent abuse by commercial parties,
including placing technical restrictions on automated querying.

We also ask that you:

+ Make non-commercial use of the files We designed Doctrine Publishing
Corporation's ISYS search for use by individuals, and we request that you
use these files for personal, non-commercial purposes.

+ Refrain from automated querying Do not send automated queries of any sort
to Doctrine Publishing's system: If you are conducting research on machine
translation, optical character recognition or other areas where access to a
large amount of text is helpful, please contact us. We encourage the use of
public domain materials for these purposes and may be able to help.

+ Keep it legal -  Whatever your use, remember that you are responsible for
ensuring that what you are doing is legal. Do not assume that just because
we believe a book is in the public domain for users in the United States,
that the work is also in the public domain for users in other countries.
Whether a book is still in copyright varies from country to country, and we
can't offer guidance on whether any specific use of any specific book is
allowed. Please do not assume that a book's appearance in Doctrine Publishing
ISYS search  means it can be used in any manner anywhere in the world.
Copyright infringement liability can be quite severe.

About ISYS® Search Software
Established in 1988, ISYS Search Software is a global supplier of enterprise
search solutions for business and government.  The company's award-winning
software suite offers a broad range of search, navigation and discovery
solutions for desktop search, intranet search, SharePoint search and embedded
search applications.  ISYS has been deployed by thousands of organizations
operating in a variety of industries, including government, legal, law
enforcement, financial services, healthcare and recruitment.



Home