Home
  By Author [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Title [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Language
all Classics books content using ISYS

Download this book: [ ASCII | HTML | PDF ]

Look for this book on Amazon


We have new books nearly every day.
If you would like a news letter once a week or once a month
fill out this form and we will give you a summary of the books for that week or month by email.

Title: Santa Rita Pintor - In Memoriam
Author: Parreira, Carlos, 1890-1950
Language: Portuguese
As this book started as an ASCII text book there are no pictures available.
Copyright Status: Not copyrighted in the United States. If you live elsewhere check the laws of your country before downloading this ebook. See comments about copyright issues at end of book.

*** Start of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "Santa Rita Pintor - In Memoriam" ***

This book is indexed by ISYS Web Indexing system to allow the reader find any word or number within the document.



CARLOS PARREIRA


+SANTA RITA PINTOR+

:IN-MEMORIAM:


MCMXIX



_Composto e impresso na Imprensa de Manuel Lucas Torres
Rua do Diario de Noticias, 59 a 61--Lisboa_



CARLOS PARREIRA


+SANTA RITA PINTOR+

:IN-MEMORIAM:


MCMXIX



+GUILHERME DE SANTA RITA+

Maquete em terra-cota


Guilherme de Santa Rita, que o despeito caraïba de um jornal,
no peixe-e-carne de um dos seus _+menus+_ necrologicos, apostila
jogralmente de «um dos mais entusiasticos cultores _+d'essa
coisa a que se chama para ahi o futurismo+_»,--Guilherme
de Santa Rita era por dentro e por fóra um Artista, um representante
legitimo d'essa especie de _+exilados+_, sempre ferido pelo
gume das cousas circundantes, sobrepairando numa atmosfera
de abstráções e desdens, ao mesmo tempo fálhos e complexos,
argila e chamma, que a Vida pulveriza, como as creanças malignas
as azas das borboletas.

Com a sua figura grácilmente exangue de fim de raça, com a sua
voz que ora parecia _+ter remorsos de falar+_--voz de himoptise,
a extinguir-se; ora fazia parar na rua, no mosaico dum café,
no simulacro de gruta dum _+hall+_ de exposições, onde certos
visitantes vão e veem como peixes mortos boiando á flôr d'agua
duma piscina,--fazia deter, com timbres angulosos de cristaes
a partir-se, anatomias ruminantes de bons-senhores _+effarés+_; com
o seu perfil de caule em que as andainas-sacos de _+kappelmeister_
maniaco, _+acintosamente+_ mal aprumadas, evocavam cerimoniaes
mysticos de catafalco; com os seus cabelos dum castanho tranzido
de escuro, dir-se-iam molhados sobre a fronte dum palôr de camelia
branca, como aves da noite que congelassem contra uma estatua
de ephebo num jardim; com os seus gestos hiperinquietos, estridentes,
chariváricos, _+ilustrando+_ os dialogos com a vertigem dum
Claude Monet fixando na téla o bailado loïe-fulleresco dos
tons;--Santa Rita era a demonstração viva, a contraprova faiscante
deste aforismo de Baudelaire: «_on peat vivre trois jours sans
pain, mais on ne peut passer um jour sans poésie.+_»

Quem uma vez tocasse o tubernaculo da sua intimidade, aceitasse
o convite que elle cavalheirescamente fazia para um _+passeio
d'Arte+_ por entre as acacias da Avenida, nalgum entardecer
de láca de Florença ou, ás noites, quando os ventos ulúlam
os seus leit-motivos de pavor, forçosamente havia de reconhecer
que calcurreava a par d'_+alguem+_ muito diferente do _+homo
vulgaris+_, «saco de comida» que Vinci lançou ás feras dos
seus sarcasmos teogónicos e n'este paiz dos ceus de porcelana,
patria bem amada da mesmice, os _+aristos das letras+_ reeditam;
d'_+alguem+_ que nos dominios da Emoção e do Pensamento os
fados sagraram gran-senhor e que era como uma antêna plurivibratil,
halucinatoria, aonde prendiam todos os fios de todas as
exquisitezes da sensibilidade moderna.



[Nota do Transcritor: Aqui surge uma fotografia de Santa Rita Pintor.]

+SANTA RITA PINTOR+


CLICHÉ
PEDRO LIMA


STUDIO
AVENIDA DA LIBERDADE



Elle era, como quase todos os espiritos _+ineditos+_, um
intoxicado d'Arte, possesso da necessidade de drapejar aos quatro
ventos a toxina que o esperecia. Razão porque muitos dos seus
conhecidos o achavam extravagante, bizarro e manifestavam ante
a sua expansibilidade radiosa o espanto colerico da mosca que
não pode atravessar a placa flamejante dum vitral _+e não sabe
porquê+_.

Que fôsse possivel existir quem nesse asylo da mendicidade
que é, em Lisbôa, a chamada «roda» dos intelectuaes, estalactites
de café, onde a sua inteligencia, uma vez ou outra condescendia
em aparecer, talvez para se documentar sobre não sei que
humoristica compilação dos usos e costumes dos fósseis,--que
fôsse possivel existir quem, entre os _+superiores e idealistas+_,
dispensasse _+la poésie+_ nas 24 horas chloroticas ou congestivas
do dia-a-dia, eis contra que Santa Rita protestava com as mais
agudas das suas interjeições, agitando em elypses de mófa os
longos dedos piciolados de violinista tisico, os seus dedos
de bôa linhagem, cheios de expressão, vozeantes d'alma, feitos,
como os de Jean Lorrain, para o ritual luminico das joias...

E nada mais divertido do que assistir então aos esforços
dos sapos tentando alcandorar-se aos cimos em que o meu
querido pintor goticisava vôos. Inestimaveis melharucos
de sonetos lusitanos, poedôres mecanicos de versos coloristas,
mais ignorantes do que cavalariços, querendo vêr no analfabetismo
a marca da originalidade e com desdens de guardas-portões
pelos que estudam; prosadores de noticias d'annos; pinturrécos
sem paleta, que enchem os _+godets+_, quando muito de anilina;
rodins de farinha triga, que quando fazem _+bonzos+_ pretendem
que os aceitêmos como _+bronzes+_ e quando contornam musculos
sugerem apenas meias-gravidezes... ah, como toda esta companha
de surdos-mudos do espirito, se não adergava convencê-lo
de que não dispensava _+o tal ideal+_, tirava depois a feminil
vingança, tratando-o de maluco e de lunatico, em conciliabulos
de mastins!

«Guilherme de Santa Rita estudou em Paris como pensionista
do Estado», tagarela um ganimedes de _+folha d'alface+_.

Parabens, seu compadre!

Deixou Santa Rita, como pintor, alguma obra de peso, um
consideravel quadro, uma insexual _+pochade+_, a famosa maquina
pictural, em summa, de horroroso estylo _+pompier+_, que tanto
repugnava á sua apurada estesia e para cuja execução o Estado
o pensionava?

Não, amigos. De resto, dispersava força neurica demais em projectos
maravilhosos, em concepções imprevistas, em imaginações faúlhantes
para poder materialisar o que projectava, o que concebia, o que
imaginava.

Diz ali, na minha estante, o _+Homem de genio obscuro+_, de Fialho: «_Entre
a intrepidez dos meus ideaes artisticos e a mesquinharia dos meus
recursos picturaes, ha um abysmo de impotencia de que não quero
dar prova aos meus contemporaneos.+_»

E ouço a voz de Oscar Wilde, seu vizinho de prateleira,
a responder-lhe, com esse gesto de desencanto apolineo,
tão perverso, que punha azas de grifo no lirismo azul dos
seus olhos: «_Voulez-vous savoir, dear, le grand drame de ma
vie?--C'est que j'ai mis mon génie dans ma vie; je n'ai mis
que mon talent dans mes œuvres+_».

O seu culto entusiastico por _+essa coisa a que se chama
para ahi o futurismo+_!

Encantadoras irreverencias da inepcia!


       *       *       *       *       *


Uma noite, na _+brasserie+_ do Largo de Santa Justa, esperavamos
ambos, com duas conservadoras chavenas de café, ver surgir
a silhueta eminentemente caracteristica do Fernando Pessôa,
em que se justapõem e quase se intersécionam bem inequivocas
reminiscencias da velha Mademoiselle, da _+Germinie Lacerteux_
e do Adrien Sixte, de Bourget.

Santa Rita, fixos em mim, anciosamente, os seus olhos de
pedra preciosa, tinha-me revelado já a sua adoração pelo futurista
hespanhol Picassso; esse Bonaparte da _+réclame+_, grande industrial
do Genio; de Severini, de Boccioni, de Russolo, do seu admiravel
quadro _+A Revolta+_, verdadeira epopeia paroxistica do Movimento,
toda em _+linhas-forças+_ de uma intensidade jamais egualada, de
Robert Delaunay e das suas _+planches+_ tão ruivamente _+réussies+_; das
predilecções futuristas, evidentes no ultimo livro d'essa bacchante
scénica de D'Annunzio, _+Forse che si, forse che no+_, duma
fantasia rica de tapete d'Oriente... Eu, que lêra na vespera
os _+manifestos+_ de Marinetti, extasiava-me ante a frase celebre,
archetypica desse rapsôdo presciente do _+Hoje+_ dinamico da Arte: «Um
automovel de aluguel é mais formoso que a _+Victoria de Samotracia+_.»

Mas Fernando Pessôa não aparecia a dar-nos o _+bonbon fondant_
da sua conversa, tão eleganciada de flexuosidades mentaes,
perspectivando ceus typhicos de inauditismos, como a dum
Walter Pater que praticasse a horoscopia...

Já na despedida:--até ámanhã--, um de nós lançou o nome
de Paul Cézanne, o _+precursor+_ odiado e vilependiado.

Meu pobre Santa Rita!

Neste momento em que tento em vão, com a greda das palavras,
esculpir o teu perfil na memoria dos que te estimaram e
procuro, para o completar, na galeria dolorosa dos teus
Antepassados do Pincel, um equivalente do teu espirito
e da tua emoção,--é o nome de Paul Cézanne que pronuncio.
Como elle, Christo resignado do insuccesso, vêjo-te morrendo,
na ante-manhã da existencia, entre os chascos vermelhos
da canalha.


Maio de 1918.


_+Carlos Parreira.+_



+PORTUGALIA--EDITORA+
LISBOA--73, RUA DO CARMO, 75
--RIO DE JANEIRO--RUA
BUENOS AIRES, 146





*** End of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "Santa Rita Pintor - In Memoriam" ***

Doctrine Publishing Corporation provides digitized public domain materials.
Public domain books belong to the public and we are merely their custodians.
This effort is time consuming and expensive, so in order to keep providing
this resource, we have taken steps to prevent abuse by commercial parties,
including placing technical restrictions on automated querying.

We also ask that you:

+ Make non-commercial use of the files We designed Doctrine Publishing
Corporation's ISYS search for use by individuals, and we request that you
use these files for personal, non-commercial purposes.

+ Refrain from automated querying Do not send automated queries of any sort
to Doctrine Publishing's system: If you are conducting research on machine
translation, optical character recognition or other areas where access to a
large amount of text is helpful, please contact us. We encourage the use of
public domain materials for these purposes and may be able to help.

+ Keep it legal -  Whatever your use, remember that you are responsible for
ensuring that what you are doing is legal. Do not assume that just because
we believe a book is in the public domain for users in the United States,
that the work is also in the public domain for users in other countries.
Whether a book is still in copyright varies from country to country, and we
can't offer guidance on whether any specific use of any specific book is
allowed. Please do not assume that a book's appearance in Doctrine Publishing
ISYS search  means it can be used in any manner anywhere in the world.
Copyright infringement liability can be quite severe.

About ISYS® Search Software
Established in 1988, ISYS Search Software is a global supplier of enterprise
search solutions for business and government.  The company's award-winning
software suite offers a broad range of search, navigation and discovery
solutions for desktop search, intranet search, SharePoint search and embedded
search applications.  ISYS has been deployed by thousands of organizations
operating in a variety of industries, including government, legal, law
enforcement, financial services, healthcare and recruitment.



Home