Home
  By Author [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Title [ A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z |  Other Symbols ]
  By Language
all Classics books content using ISYS

Download this book: [ ASCII | HTML | PDF ]

Look for this book on Amazon


We have new books nearly every day.
If you would like a news letter once a week or once a month
fill out this form and we will give you a summary of the books for that week or month by email.

Title: Á ventura
Author: Pascoais, Teixeira de, 1877-1952
Language: Portuguese
As this book started as an ASCII text book there are no pictures available.
Copyright Status: Not copyrighted in the United States. If you live elsewhere check the laws of your country before downloading this ebook. See comments about copyright issues at end of book.

*** Start of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "Á ventura" ***

This book is indexed by ISYS Web Indexing system to allow the reader find any word or number within the document.



TEIXEIRA DE PASCOAES


+Á Ventura+


COIMBRA. 1901



Typ. França Amado.



+Á VENTURA+

Aos meus companheiros.


Oh Saudade tantas vezes invocada,
Musa, que tantos infelizes inspiraste!
Tu, que nos deixas a nossa alma illuminada,
Que tantas Lyras, com teus dedos, afinaste!

Oh saudade que és das dôres a mais linda,
Que das tristezas és a mais menina e moça,
A mais eleita, a Desejada, a mais bem vinda!
A que mais nos governa, a mais senhora nossa!

Enche o meu coração da tua claridade,
D'esse raio de luz tremulo e moribundo,
--Que é o fogo-fatuo de perdida mocidade,--
Com que o sol, ao morrer, ensanguenta o mundo!

E quando á tarde, em labaredas, o Poente
Parece, na distancia, uma outra Roma a arder!
É uma saudade, é a dôr que a natureza sente
Pelo sol que a fecunda e faz reverdecer!

Oh minha musa triste e d'olhos lacrimosos!
Ensina-me a pintar o que é ficarmos sós!
Que eu saiba lêr nos corações desfortunosos,
Que eu apprenda a cantar com lagrimas na voz!

É sempre ao pôr do sol a hora de partir!
É quando chora nos pinhaes o vento norte,
Que tão bem sabe em doidos gritos traduzir
A dôr dos que andam sempre _ao Deus-dará da sorte_!

Sempre um signal do céo aos homens revelou
Cada facto que é, na vida, extraordinario!
Quando morreu Jesus o sol se eclipsou
E em convulsões estremeceu todo o Calvario!

É um adeus afinal a minha vida toda...
Sempre do coração sinto partir alguem!
Que deserto areal descubro, se olho em roda,
Nem sei por que milagre ainda me resta alguem!

Adeus! Adeus! Eis as palavras que apprenderam,
Logo ao nascer, os meus ouvidos infelizes!
Em chagas a sangrar assim os converteram
Estas palavras que nos deixam cicatrizes!

É ao ouvir, dentro do peito, soluçar
Desapiedada voz que só me diz adeus,
E me causa tristeza, e faz idealisar
Uma cruzada que conquiste novos céos!

É ouvindo essa voz, que em lagrimas chegara
Ao mais recondito logar do coração,
Onde um diluvio de repente se formara,
Que as Biblias do Amor em verso cantarão!

Que eu vou cantar, meus companheiros d'Aventura!
A facada que contra o peito nos vibrou,
Lá n'uma esquina d'este mundo, em noite escura,
A Sorte que funesta estrella nos dictou!

E que nos fez perder assim os patrios lares,
E nos deixou sem norte, errantes, vagabundos,
Abandonando-nos á furia d'esses mares,
Onde tentamos descobrir uns novos mundos!

E, quaes Telemacos entregues ao furor
Das tempestades e dos deuses vingativos,
Nós viajamos em procura d'um amor
Que vive longe... entre arvoredos primitivos!

Vive encantado, e simplesmente os leaes amantes
Têm para elle uma varinha de condão
Que, n'uma noite, os faz andar terras distantes
E um rochedo converter n'um coração!

O amor existe. É o eterno sol aureoral!
Que de flores esmalta nosso sentimento.
Quem fôr capaz de amar possue todo o Ideal,
Quem tem um coração é o Deus d'um firmamento!

Mas quantas ilhas desoladas visitamos!
De que tormentos e naufragios e perigos,
Por milagre de Deus, apenas nos salvamos,
Meus companheiros da Aventura, oh meus amigos!

Mas essa Grecia, aquella praia desejada,
Das velhas naus, em pouco tempo, heis de avistar...
Já no horizonte é como nuvem desmaiada,
É um lenço branco que p'ra nós está a acenar!

Já se distinguem bem as linhas sinuosas
D'aquelles montes onde, um dia, nós nascemos...
Lá nos esperam outras almas venturosas
Que nos hão de entregar aquillo que perdemos!

Do nosso lar o fumo perde-se no espaço,
Nossa terra natal já se descobre alem...
Dois braços eu avisto abertos n'um abraço,
E naquelle alto, á nossa espera, eu vejo alguem!

Que lindo mar! Olhae, vêde nascer a aurora!
Como brilha no céo a estrella da manhã!
O mundo unicamente é mau para quem chora,
E é feliz quem tiver outra alma sua irmã!

Já o sol apagou a estrella matutina;
N'um diluvio de luz parece tudo arder!
Ella fugiu da immensidade crystallina
Para no nosso coração amanhecer!...


Coimbra, 20--março--1901.





*** End of this Doctrine Publishing Corporation Digital Book "Á ventura" ***

Doctrine Publishing Corporation provides digitized public domain materials.
Public domain books belong to the public and we are merely their custodians.
This effort is time consuming and expensive, so in order to keep providing
this resource, we have taken steps to prevent abuse by commercial parties,
including placing technical restrictions on automated querying.

We also ask that you:

+ Make non-commercial use of the files We designed Doctrine Publishing
Corporation's ISYS search for use by individuals, and we request that you
use these files for personal, non-commercial purposes.

+ Refrain from automated querying Do not send automated queries of any sort
to Doctrine Publishing's system: If you are conducting research on machine
translation, optical character recognition or other areas where access to a
large amount of text is helpful, please contact us. We encourage the use of
public domain materials for these purposes and may be able to help.

+ Keep it legal -  Whatever your use, remember that you are responsible for
ensuring that what you are doing is legal. Do not assume that just because
we believe a book is in the public domain for users in the United States,
that the work is also in the public domain for users in other countries.
Whether a book is still in copyright varies from country to country, and we
can't offer guidance on whether any specific use of any specific book is
allowed. Please do not assume that a book's appearance in Doctrine Publishing
ISYS search  means it can be used in any manner anywhere in the world.
Copyright infringement liability can be quite severe.

About ISYS® Search Software
Established in 1988, ISYS Search Software is a global supplier of enterprise
search solutions for business and government.  The company's award-winning
software suite offers a broad range of search, navigation and discovery
solutions for desktop search, intranet search, SharePoint search and embedded
search applications.  ISYS has been deployed by thousands of organizations
operating in a variety of industries, including government, legal, law
enforcement, financial services, healthcare and recruitment.



Home